Sunday, 21 de April de 2019

Entre nós

Confira semanalmente os mais variados assuntos sobre a vida sexual

Virgínia Gama | virginiagama@ogirassol.com

é ginecologista e terapeuta sexual


Como anda a minha vida sexual?

28 Jan 2018    16:57    alterado em 28/01 às 17:56

Dizem que sexo até quando é ruim é bom! Será?

O ditado pode ser engraçado,  mas está longe de representar o real valor da sexualidade bem resolvida. A definição de qualidade de vida da Organização Mundial de Saúde (OMS) inclui o sexo prazeroso ao lado de padrões como atividade física e alimentação equilibrada. Significa que não é possível pensar em saúde sem considerar o que acontece entre quatro paredes. As pessoas estão cada vez mais atentas a essa questão e buscando ajuda. Mas não se trata de uma busca por um maior número de relações e, sim, um aprendizado sobre o próprio corpo e sua resposta sexual e a preocupação de fortalecer os vínculos afetivos. Observamos uma busca na satisfação da vida sexual através do profissional especializado que trabalha através do aconselhamento sexual e/ou terapia sexual.

O paciente que chega ao consultório ávido por uma solução, enfrentou anos de sofrimento com queixas sexuais, como disfunção erétil, ejaculação precoce, diminuição do despejo sexual, dispaurenia (dor na relação sexual) e vaginismo (dificuldade de penetração vaginal), até decidir procurar ajuda. E quando ele chega até o profissional, ele geralmente está em crise, prestes a perder o parceiro, ou carrega um trauma.

É aí que entra a TERAPIA SEXUAL uma terapia  breve e objetiva voltada ao tratamento das disfunções sexuais, onde se esclarece a resposta sexual masculina e feminina e de acordo com a demanda da queixa  apresentada será tratada de forma individual ou o par . Os profissionais habilitados a atuarem nesta área são médicos e psicólogos, com especialização em sexologia clínica.

Atualmente, é bem conhecida a grande dificuldade por parte do ginecologista em lidar com a queixa sexual de sua paciente, isto se deve basicamente pela falta de capacitação das faculdades de medicina e da residência médica nesta área específica.


Como abordar então a queixa sexual?

O profissional que lida com essa queixa que inicialmente é o ginecologista, deve estar habilitado a ouvir a paciente, ser sensível e entender o universo feminino que é único e mutável de acordo com a fase que essa mulher se encontra e seu momento emocional (adolescente, gestante, menopausa).

Alguns questionamentos são essenciais na abordagem inicial dessa paciente que procura o especialista sexólogo:

⁃ O que representa o sexo para você?

⁃ O que esse parceiro (a)  representa para essa mulher nesse momento?

⁃ Você pensa em sexo?

⁃ Tem fantasias?  

Após essa primeira entrevista pode-se compreender a queixa sexual que a paciente apresenta, os seus sentimentos em relação a questão e traçar o procedimento terapêutico adequado ao caso.

COMPARTILHE:


Saúde

Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa nesta segunda-feira

Na primeira fase, foram vacinadas crianças, gestantes e puérperas


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira